Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

http://www.folhacg.com.br/destaque/ministros-definem-ecosesi-como-modelo-de-sustentabilidade/

Representantes de Rússia, Índia, China e África do Sul classificam EcoSesi como um lugar de belezas naturais únicas e um modelo de boas práticas

Por Brayner Silva

O EcoSesi – Observatório Socioambiental, localizado no município de Bonito (MS), foi classificado pelos ministros de Agricultura do Brics, grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, como um lugar de belezas naturais únicas e um modelo de sustentabilidade e de boas práticas. O local sediou, na quarta (25) e quinta-feira (26), a 9ª reunião dos ministros de Agricultura dos cinco países.

A ministra de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, agradeceu a cedência do espaço pela Fiems para a realização da reunião. “Gostaria de agradecer ao presidente da Fiems, Sérgio Longen, pelo espaço e a toda a equipe do Sesi que nos atendeu de forma primorosa. Os ministros ficaram encantadíssimos com tudo o que viram por aqui e acredito que o evento em Bonito foi uma oportunidade de divulgarmos nosso Estado, Bonito e as nossas boas práticas agropecuárias”, afirmou.

O chefe da delegação da Índia, Bimbadhar Pradhan, ressaltou a hospitalidade e a beleza do povo bonitense. “Se eu tivesse de falar uma impressão que vou levar para a Índia, eu diria que é a impressão de sustentabilidade do EcoSesi, com pessoas bonitas e com um cuidado especial ao meio ambiente. Em toda a minha vida, acredito que esse é o melhor lugar que já visitei e recomendo este local aos meus amigos para que eles pudessem vir visitar”, comentou.

Na mesma linha, o vice-ministro da Rússia, Sergey Levin, classificou os lugares visitados em Bonito como singulares. “Talvez não vá dizer nada de muito original, mas acredito que na Terra não haja lugares como esses. Gostaria de sublinhar que tivemos a oportunidade. Isso não foi agradável apenas do ponto de vista social, mas também do ponto de vista profissional, pois conhecemos um exemplo de desenvolvimento e sustentabilidade aqui”, disse.

Para o vice-ministro da China, Taolin Zhang, o EcoSesi é uma perfeita combinação de ecoturismo, sustentabilidade e boas práticas. “Nós concordamos com o modelo aplicado aqui e defendemos essa preocupação com o meio ambiente”, considerou. Já para o vice-ministro da África do Sul, Mcebisi Skwatsha, foi gratificante ficar em um lugar tão tranquilo e hospitaleiro. “É um lugar muito bonito, muito pacífico, muito tranquilo e com pessoas muito bonitas. Levarei para a África a impressão de pessoas bonitas e de lugares incríveis”, pontuou.

CARTA DE BONITO

No fim da 9º Reunião dos Ministros da Agricultura do Brics, realizada no EcoSesi Bonito (MS), os representantes dos cinco países assinaram a Carta de Bonito, com 27 itens que reiteram o comprometimento com a cooperação na área agrícola. Os ministros afirmaram o potencial para aprimorar a colaboração nas áreas de produção de alimentos, segurança alimentar e segurança ambiental.

“Isso pode ser alcançado por meio de boas práticas agrícolas, desenvolvendo agricultura digital e cadeias de valor para a melhor comercialização agrícola e melhoria de renda para os agricultores”, diz a carta, que trata de temas como inovação, comunicação do setor, startups, facilitação de comércio, princípios científicos, regionalização e sustentabilidade.

Segundo o documento, os países do Brics estão prontos para fortalecer os mecanismos e aprimorar a comunicação em importantes temas internacionais, como o incentivo a novas soluções para o aumento da produção de alimentos, o empreendedorismo em startups de agrotecnologia, o aumento do comércio internacional, a segurança alimentar em países em desenvolvimento e o cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Os ministros reconhecem a importância da agricultura sustentável e o papel da biotecnologia para o aumento da produtividade, usando menos terras e insumos. “Compartilhamos o compromisso de melhorar a eficiência por meio do aumento da produtividade e custos reduzidos, e de expandir o uso de sistemas integrados e sustentáveis de produção de plantas e animais, para aumentar o uso da agricultura de precisão, irrigação e elementos da agricultura digital”, traz trecho.

A carta também fala do compromisso de aumentar a participação de biocombustíveis sustentáveis e outras fontes de energia renováveis na matriz energética dos países do Brics e incentivar medidas para evitar a erosão do solo, incluindo a proteção das margens dos rios com vegetação nativa. “Reafirmamos nosso compromisso com a proteção do meio ambiente e sua importância para a produção agroalimentar”, diz a carta.

TECNOLOGIA

Os países deverão fortalecer o intercâmbio mútuo em áreas como biotecnologia e nanotecnologia, ressaltando a importância de uma melhor aplicação das tecnologias da informação e comunicação na agricultura, a fim de construir e melhorar a adaptabilidade da agricultura às mudanças climáticas e apoiar a bioeconomia.

“Reconhecemos que, para produzir mais alimentos de maneira sustentável, a conectividade digital rural é de suma importância. Requer desenvolvimento adicional da agricultura digital e expansão da infraestrutura digital, especialmente para aproveitar todo o potencial da tecnologia da Internet das Coisas em diferentes estágios da cadeia de produção”, diz o documento.

REGRAS SANITÁRIAS

Os países também se comprometeram em manter regras sanitárias e fitossanitárias baseadas em princípios científicos para “proporcionar um ambiente favorável ao comércio e ao desenvolvimento tecnológico”. Outro ponto acordado foi o fortalecimento dos diálogos comerciais e para promover a implementação de normas sanitárias e fitossanitárias internacionais, com o objetivo de harmonizar os procedimentos de exportação. O documento também aborda a necessidade de discutir as diferenças entre as regras internacionais de comércio eletrônico.

Outro compromisso foi o de aprimorar a comunicação entre os cinco países para facilitar o procedimento de avaliação da aplicação da certificação nas áreas livres de pragas ou doenças. “Instamos os países a avaliar solicitações de reconhecimento de condições regionais e status sanitário ou fitossanitário, de acordo com os padrões, diretrizes ou recomendações internacionais relevantes”, diz a carta.

ALINHAMENTO

A ministra Tereza Cristina disse que houve um alinhamento dos cinco países sobre os temas básicos discutidos na reunião. Ela destacou a necessidade de promoção de novas soluções para a produção de alimentos. “Sabemos da responsabilidade que teremos de alimentar 9,8 bilhões de pessoas até 2050, sendo 3,3 bilhões dentro dos países do Brics”, disse.

Segundo ela, o encontro em Bonito foi proposital para mostrar a agricultura sustentável que o Brasil desenvolve. No próximo ano, o encontro será realizado na Rússia. Os representantes de Rússia, Índia, China e África do Sul agradeceram a hospitalidade da ministra Tereza Cristina e elogiaram a iniciativa de fazer a reunião em Bonito. Eles também elogiaram a qualidade do documento final do encontro, a Carta de Bonito.

Pesquisa:
Fim do conteúdo da página