Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

https://www.eldiario.es/internacional/canciller-brasileno-Trump-Bolsonaro-tonterias_0_941056851.html

11/09/2019

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, afirmou hoje que as vitórias eleitorais de Donald Trump nos EUA e de Jair Bolsonaro no Brasil e a saída do Reino Unido da União Europeia são elementos comuns de uma "insurgência" contra "bobagens", como o globalismo e a ditadura das mudanças climáticas.

"Trump, Bolsonaro e o 'Brexit' fazem parte de um processo global. Faz parte da mesma insurgência contra a bobagem", disse Araújo em uma conferência na Heritage Foundation, no primeiro dia de uma visita a Washington.

O chanceler está na capital para realizar reuniões com altos funcionários do governo, como o representante de comércio exterior, Robert Lighthizer, e o secretário de Estado, Mike Pompeo.

Além disso, ele se reunirá com o Diretor do Conselho Econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, além de investidores americanos.

Entre as "bobagens", o Ministro citou o "globalismo, a possibilidade de um mundo sem fronteiras" e acusou "a ditadura das mudanças climáticas", que ele descreveu como "climatismo".

"Existe mudança climática? Sim, sempre houve. É devido à ação humana? Não está claro. É catastrófico? Parece que não", disse ele.

Araújo negou a destruição da Amazônia pelos incêndios, garantindo que os incêndios continuam dentro da "média histórica" e lamentou que "a mudança climática tenha sido capturada por interesses políticos" para atacar Bolsonaro.

Em agosto, Araújo visitou a capital dos EUA com Eduardo Bolsonaro, filho do presidente e candidato a embaixador do Brasil nos EUA, e acusou países que expõem "ideias raras" sobre uma internacionalização da Amazônia.

Naquela ocasião, o chanceler declarou ter o governo Trump expressado "enorme interesse em amplo acordo comercial" entre os dois lados e que as negociações sobre o assunto já teriam começado.

Ele também afirmou que estão sendo definidas datas para uma visita de Trump ao Brasil, embora tenha evitado oferecer detalhes concretos sobre se isso ocorrerá antes do final do ano.

Pesquisa:
Fim do conteúdo da página