Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Obras de arte

 

 

O Palácio Itamaraty e o novo bloco de escritórios, de 8 andares, representaram a oportunidade para a formação de um acervo com exemplos do que de melhor se realizou na arte brasileira, desde o barroco até a atualidade.

Destacam-se, nesse conjunto, as obras de arte integradas à estrutura.

Algumas, como os pisos e murais de Athos Bulcão e Sérgio Camargo, enriquecem os ambientes com jogos sutis de padrões e relevos.

Outras, como o Meteoro, de Bruno Giorgi, o Canto da Noite, de Maria Martins, a Revoada de Pássaros de Pedro Correia de Araújo e o Ponto de Encontro, de Mary Vieira, destacam-se nos grandes espaços e jardins criados por Niemeyer e Burle Marx.

Muitos artistas realizaram, para o Itamaraty, obras de grande importância dentro de sua produção, como, por exemplo, o políptico especialmente criado para o Palácio por Fayga Ostrower. No caso de Bruno Giorgi, pode-se inclusive considerar o Meteoro como o início de uma nova fase em sua evolução artística, marcada por formas mais abstratas e a descoberta das possibilidades do mármore.

Além das encomendas, o Itamaraty instituiu com a Bienal de São Paulo um prêmio de aquisição que contemplou cerca de 50 artistas.

 

 

Fotos: Acervo Milton Ramos

 

{backbutton}

Fim do conteúdo da página