Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti

A convite das Nações Unidas, desde 2004 o Brasil exerce

o comando militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH). Trata-se da missão mais latino-americana da história da ONU, contando com a participação de 13 países dessa região. O Brasil é o principal contribuinte de tropas, com cerca de 985 militares (dos quais 15 mulheres) e 3 policiais no terreno.

minustah

O contingente militar brasileiro divide-se em três unidades militares: um Batalhão de Infantaria (Brabat), um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais (Bramar), e uma Companhia de Engenharia Militar (Braengcoy). Ao longo de treze anos, 26 contingentes e 37 mil soldados brasileiros passaram pelo Haiti.

Desde a chegada da MINUSTAH ao Haiti, o país realizou três eleições presidenciais democráticas e contou com o apoio da Missão para superar a fase crítica de emergência humanitária pós-terremoto de 2010 e pós-furacão de 2016. Do ponto de vista da segurança, a Missão foi bem-sucedida em conter a ação de grupos criminosos que antes atuavam na capital, Porto Príncipe, sobretudo nos bairros de Belair, Cité Soleil e Cité Militaire.

Além de contribuir militarmente à MINUSTAH, o Brasil tem intensificado a cooperação técnica e humanitária com o Haiti, com vistas ao desenvolvimento do país. A Companhia de Engenharia Militar brasileira tem participado nesse esforço, desempenhando atividades como perfuração de poços artesianos, construção de pontes e açudes, contenção de encostas, construção e reparação de estradas – além de atuar em missões de defesa civil, sobretudo após o terremoto de 2010 e o furacão de 2016.

- A Resolução 2350 (2017) do CSNU determinou a extensão final da MINUSTAH até 15 de outubro próximo. A missão será substituída pela MINUSJUSTH (Missão das Nações Unidas de Apoio à Justiça no Haiti), que não terá componente militar, com foco no apoio ao diálogo político e ao fortalecimento da Polícia Nacional do Haiti, das instituições judiciais e penais e da situação de direitos humanos.

Durante todo os 13 anos de atividades da MINUSTAH, a missão contou com brasileiros no maior contingente e no Comando Militar, fato inédito no histórico das operações de manutenção da paz da ONU. O último Comandante Militar da MINUSTAH é o General Ajax Porto Pinheiro.

O Brasil mantém firme compromisso com a estabilidade, com a segurança e com o desenvolvimento do Haiti.

{backbutton}

Fim do conteúdo da página