Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

 
leaA Liga dos Estados Árabes (LEA) foi criada em 1945, no Cairo. A organização conta com 22 membros: Arábia Saudita, Argélia, Bahrein, Qatar, Comores, Djibouti, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Iraque, Jordânia, Kuwait, Líbano, Líbia, Marrocos, Mauritânia, Palestina, Síria (suspenso), Omã, Somália, Sudão e Tunísia.
 
O principal órgão decisório é o Conselho da Liga, no qual todos os membros estão representados e que se reúne, em princípio, duas vezes por ano, podendo também reunir-se extraordinariamente. A Presidência do Conselho é ocupada em caráter de rodízio pelos membros da LEA, por um período de seis meses. As Cúpulas da Liga ocorrem em frequência anual, geralmente no mês de março.
 
O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o primeiro Chefe de Estado brasileiro a visitar a sede da Liga, em dezembro de 2003. Em 2005, o Secretário-Geral da LEA anunciou a decisão de reabrir a Missão da Liga em Brasília (fechada desde meados dos anos 1990) e de nomear Representante residente – o que já se realizou.
 
Brasil e Liga Árabe têm intensificado os contatos políticos e vínculos institucionais. Trabalham em conjunto na organização das Cúpulas ASPA (América do Sul-Países Árabes) – onde atuam, respectivamente, como coordenadores dos países sul-americanos e árabes. Em 2014, o Conselho da Liga concordou em acreditar o Embaixador do Brasil no Egito como Representante Especial do Brasil junto à Liga dos Estados Árabes, significativo passo para o estreitamento das relações do Brasil com aquela organização e com os países árabes.
 
Há Embaixadas brasileiras em 17 dos 22 países que integram a Liga, mesma quantidade de Embaixadas de países árabes em Brasília. De 2002 a 2013, o comércio com os países da Liga Árabe passou de US$ 4,9 bilhões para US$ 25,4 bilhões (saldo de US$ 2,6 bilhões para o Brasil em 2013).

Reportar erro
 
 
Fim do conteúdo da página