Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

 

Criado em junho de 2003 por meio da Declaração de Brasília,

o Fórum de Diálogo Índia, Brasil e África do Sul (IBAS) congrega as três grandes democracias multiétnicas do mundo em desenvolvimento. O IBAS atua em três vertentes principais: coordenação política, cooperação setorial e Fundo IBAS.Já foram realizadas cinco reuniões de Cúpula:

  • I Cúpula IBAS – Brasília, em setembro de 2006;
  • II Cúpula IBAS – Pretória, em outubro de 2007;
  • III Cúpula IBAS – Nova Délhi, em outubro de 2008;
  • IV Cúpula IBAS – Brasília, em abril de 2010; e
  • V Cúpula IBAS – Pretória, em outubro de 2011.


Além do diálogo intergovernamental, as Cúpulas do IBAS abrangem a realização de sete foros temáticos, nas seguintes áreas: mulheres; acadêmicos; empresários; pequenos e médios empresários; editores; governos locais; e parlamentares.

Coordenação política

Desde sua criação, o IBAS consolidou amplo repertório de posições conjuntas do IBAS nos comunicados dos Chefes de Estado e Governo e de Chanceleres em temas como democracia, direitos humanos, inclusão social e desenvolvimento sustentável. Os países do IBAS são atores fundamentais nas discussões sobre a reforma das estruturas de governança global, especialmente do Conselho de Segurança e na discussão sobre os Objetivos de Desenvolvimento pós-2015.

Cooperação setorial

O IBAS conta atualmente com 16 Grupos de Trabalho temáticos orientados para a troca de informações e a cooperação técnica – dentre os quais se destacam aqueles dedicados a defesa, administração aduaneira e tributária, assentamentos humanos, comércio e investimentos e Energia.Está sendo examinada proposta brasileira de consolidação dos grupos de trabalho, por área temática e com definição de prioridades, de forma a alinhá-las ao ideário político do Fórum e às vantagens comparativas do IBAS em temas como a agenda do desenvolvimento pós-2015.

Fundo IBAS para o Alívio da Fome e da Pobreza


ibasFace mais visível do IBAS, o Fundo financia desde 2004 projetos em países de menor desenvolvimento relativo ou egressos de conflitos armados, com base nas capacidades disponíveis nos três países e em experiências nacionais exitosas de combate à fome e à pobreza. Por meio de projetos autossustentáveis e replicáveis, o Fundo busca fornecer exemplos de melhores práticas voltadas à consecução das Metas do Milênio. As diretrizes de operação do Fundo estão sob constante atualização, de forma a permitir que seja incorporado o aprendizado decorrente dos projetos executados.

Cada um dos países do IBAS destina, anualmente, US$ 1 milhão ao Fundo. Os recursos são administrados pelo Escritório de Cooperação Sul-Sul das Nações Unidas e são repassados aos projetos, em caráter concessional. Até o presente, o Fundo IBAS captou US$ 25 milhões e destinou US$ 21 milhões para projetos em diversos países.

Foram concluídos oito projetos em seis países (Burundi, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Haiti, Serra Leoa e Palestina):

  • Coleta e Reciclagem de Resíduos Sólidos: Uma Ferramenta para a Redução da Violência e Conflito em Carrefour Feuilles (Fase I), em Porto Príncipe (Haiti);
  • Desenvolvimento da Agricultura e Criação de Animais (Fase I), em Bissa, N’tatelai e Capafa (Guiné-Bissau);
  • Reforma da Infraestrutura do Sistema de Saúde Covoada e Ribeira Brava, ilha de São Nicolau (Cabo Verde);
  • Desenvolvimento Agropecuário e Serviços a Comunidades Rurais (Fase II), nas regiões de Bafatá, Oio e Biombo (Guiné-Bissau);
  • Construção de Centro Multiesportivo, em Ramalá (Palestina);
  • Coleta e Reciclagem de Resíduos Sólidos: Uma Ferramenta para a Redução da Violência e Conflito em Carrefour Feuilles (Fase II), em Porto Príncipe (Haiti);
  • Reforço à infraestrutura e à capacidade de combate ao HIV/AIDS, em Bujumbura (Burundi);
  • Desenvolvimento de Liderança e Capacitação Institucional para o Desenvolvimento Humano e Redução da Pobreza, em Freetown (Serra Leoa).

Existem outros onze projetos em andamento em oito países (Cabo Verde, Camboja, Guiana, Guiné-Bissau, Laos, Palestina, Sudão e Vietnã).

Pelo êxito de suas iniciativas, o Fundo IBAS recebeu, em 2006, o Prêmio “Parceria Sul-Sul para Aliança Sul-Sul”, concedido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e, em 2010, o Prêmio “Millennium Development Goals Awards”, outorgado pela ONG “Millennium Development Goals Awards Committee”. Em 2012, o Fundo IBAS recebeu o prêmio "South-South and Triangular Cooperation Champions Award", entregue pelo Escritório das Nações Unidas para a Cooperação Sul-Sul (ECSS), por sua contribuição inovadora para a cooperação Sul-Sul e cooperação triangular.


Reportar erro
 
 
Fim do conteúdo da página