Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Acordos extrarregionais do Mercosul

Acordos firmados pelo MERCOSUL com parceiros extrarregionais

 

Acordo de Livre Comércio Mercosul–Israel (vigente)

O Acordo de Livre Comércio (ALC) entre o Mercosul e o Estado de Israel, firmado em Montevidéu, em 18/12/2007, entrou em vigor no Brasil em 27/04/2010, quando foi promulgado pelo Decreto nº 7.159. O ALC Mercosul-Israel foi o primeiro acordo dessa modalidade a ser celebrado pelo bloco sul-americano com país localizado fora de nosso continente. O Acordo engloba 9.424 linhas tarifárias ofertadas pelo Mercosul e 8.000 por Israel, com cronogramas de desgravação de, respectivamente, dez e oito anos.

O ALC MERCOSUL -Israel entrou em vigor para os demais sócios do MERCOSUL em setembro de 2011. O Acordo abrange cerca de 95% do comércio entre as partes.


Acordo de
Comércio Preferencial Mercosul–Índia (vigente)

O Acordo de Comércio Preferencial (ACP) entre o Mercosul e a Índia, assinado em janeiro de 2004 e em vigor desde junho de 2009, envolve concessões de 450 linhas tarifárias, de parte a parte, com tratamento preferencial e redução de tarifas que variam entre 10%, 20% e 100%. O Mercosul e a Índia discutem a ampliação das atuais 450 linhas tarifárias para cerca de 2.000 novas linhas de cada parte. O Acordo, dessa forma, está aquém do enorme potencial de comércio entre o MERCOSUL e a Índia, mercado que agrega cerca de 1,3 bilhão de consumidores. 

O tema da ampliação do ACP MERCOSUL-Índia foi tratado durante a III Reunião de Administração Conjunta do Acordo, realizada em Brasília, em 29/9/2016. Durante a reunião, foram definidos cronograma e metodologia para levar adiante a expansão da cobertura do ACP, que prevê a inclusão de novos produtos no escopo do Acordo. A Presidência Pro Tempore do Mercosul, a cargo do Brasil no segundo semestre de 2017, objetiva concluir a primeira rodada negociadora para a expansão do acordo com a Índia. 


Acordo de
Comércio Preferencial Mercosul–SACU (vigente)

O Acordo de Comércio Preferencial (ACP) entre o Mercosul e a União Aduaneira da África Austral (SACU) entrou em vigor em 01/04/2016. Assinado em 15/12/2008 pelos Estados Partes do Mercosul e em 03/04/2009 pelos membros do bloco africano (África do Sul, Botsuana, Lesoto, Namíbia e Suazilândia), o ACP Mercosul-SACU estabelece margens de preferência de 10%, 25%, 50% e 100% para pouco mais de 1.050 linhas tarifárias de cada parte.

Foi realizada recentemente em Johanesburgo, em 25 e 26 de maio último, a I Reunião do Comitê de Administração Conjunta (CAC) do ACP MERCOSUL - SACU. Durante o encontro foram discutidos aspectos técnicos relacionados à implementação do Acordo.


Acordo de Livre Comércio Mercosul–Palestina (em processo de ratificação)

A assinatura do ALC Mercosul-Palestina, em 20/12/2011, em Montevidéu, foi precedida pelo Acordo-Quadro de Comércio e Cooperação Econômica entre o Mercosul e a Organização para a Libertação da Palestina, em nome da Autoridade Nacional Palestina, assinado em 16/12/2010, em Foz do Iguaçu. O lançamento de negociações para um ALC entre as duas Partes adquiriu impulso com o reconhecimento do Estado palestino por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai (entre dezembro de 2010 e março de 2011). Alguns produtos de particular interesse palestino, tais como azeite de oliva, produtos alimentícios, pedras e mármores, foram incluídos na cesta de desgravação imediata. O ALC Mercosul-Palestina se encontra em tramitação no Congresso Nacional.


Acordo de Livre Comércio MERCOSUL–Egito (vigente)

Importante marco no relacionamento externo do bloco é a entrada em vigor, a partir de 1º de setembro de 2017, do Acordo de Livre Comércio (ALC) entre o MERCOSUL e o Egito.

O ALC MERCOSUL-Egito, assinado em San Juan, Argentina, em 02/08/2010, integra os esforços do MERCOSUL em ampliar o relacionamento comercial com os países do Norte da África e do Oriente Médio. É o segundo acordo de livre comércio extrarregional do MERCOSUL e o primeiro com país em desenvolvimento.

Trata-se de acordo de abertura de mercados para bens, com cláusulas que abrem a possibilidade de entendimentos futuros sobre acesso a mercados em serviços e investimentos. O Acordo prevê isenção imediata de 26% do universo tarifário do MERCOSUL e de 31% do universo tarifário egípcio. Ao final de dez anos, 99% do universo tarifário do MERCOSUL e 97% do universo tarifário do Egito estarão totalmente desgravados.

Nos próximos meses, MERCOSUL e Egito deverão reunir o Comitê Conjunto do Acordo, que possui, dentre outras, as funções de assegurar a implementação adequada do ALC e buscar meios de aprofundar a cooperação entre as Partes.

{backbutton}

Fim do conteúdo da página