Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

 
A cooperação educacional é uma vertente positiva das relações entre países, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social e promovendo valores como tolerância e respeito à diversidade cultural. A política externa para temas educacionais se orienta pela busca de resultados nas dimensões econômica, política e cultural.

Por relacionar-se diretamente à qualificação da mão-de-obra de um país, a cooperação educacional contribui para o desenvolvimento econômico. Em um mundo globalizado, em que a capacidade de uma economia para atrair capitais, investimentos e tecnologias está condicionada ao nível educacional e à qualificação de seus recursos humanos, iniciativas de cooperação educacional objetivam a inserção competitiva no mercado internacional.

A cooperação em temas educacionais é um instrumento político para promover a aproximação entre os Estados por meio de suas sociedades. Iniciativas brasileiras nessa área em parceria com outros países em desenvolvimento contribuem para projetar o Brasil como país cuja atuação internacional é solidária. Ademais, a convivência com outras culturas, o aprendizado de idiomas estrangeiros e a troca de experiências levam à formação de um ambiente de integração e conhecimento mútuo, propiciando maior compreensão, respeito à diversidade e tolerância.

Dentre as atribuições do Itamaraty nas ações de cooperação educacional, exercidas por meio da Divisão de Temas Educacionais, estão:
divulgar oportunidades de emprego e bolsas de estudos oferecidas a brasileiros;
 
  • tratar de questões gerais relacionadas à cooperação educacional oferecida pelo Brasil;
  • coordenar, em conjunto com o Ministério da Educação, o Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G);
  • coordenar, em conjunto com o Ministério da Educação e com o Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação, o Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG);
  • tratar de assuntos relativos à cooperação educacional recebida pelo Brasil de outros países, agências estrangeiras ou organizações internacionais;
  • participar da negociação de acordos e programas sobre cooperação educacional no plano internacional, bem como acompanhar sua execução.
 
Ciência sem Fronteiras

csfEm parceria com o Ministério da Educação e com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o Itamaraty acompanha a implementação no exterior do programa Ciência sem Fronteiras (CsF). Criado em 2011, o programa tem como meta conceder 100 mil bolsas de estudo até o final de 2014, estimulando o intercâmbio acadêmico em áreas de conhecimento consideradas prioritárias para o desenvolvimento nacional. As bolsas do programa permitem tanto o envio de universitários e pesquisadores brasileiros para instituições de ensino no exterior, como a atração de acadêmicos estrangeiros para as universidades e centros de pesquisa brasileiros.

Por meio da rede Embaixadas e Consulados brasileiros no exterior, o Itamaraty presta apoio aos bolsistas brasileiros no exterior por meio do Programa de Apoio a Estudantes Brasileiros – cujas iniciativas incluem:
 
  • orientação acerca de aspectos do cotidiano local e das perspectivas para a realização de estágios;
  • elaboração de guias com informações relacionadas a temas como moradia, transportes, assistência médica e procedimentos consulares;
  • articulação com as associações de estudantes e de pesquisadores;
  • facilitação do contato entre Capes, CNPq e agências envolvidas no programa com empresas e institutos de pesquisa estrangeiros, com a finalidade de obter vagas de estágio para bolsistas brasileiros.

 


Reportar erro
 
 
Fim do conteúdo da página