Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
375

Em Cantão, o Vice-Presidente presidirá, juntamente com o Vice-Primeiro-Ministro Wang Yang, a III Reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN). A COSBAN é o mecanismo de diálogo político de mais alto nível entre Brasil e China. Integram sua estrutura onze Subcomissões, que cobrem todo o universo das relações bilaterais.

Em Macau, participará da cerimônia de abertura da IV Conferência Ministerial do Fórum para a Cooperação Econômica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Fórum de Macau). O Fórum de Macau foi criado em 2003 e reúne a China e os países de língua portuguesa, com o objetivo de promover o comércio, os investimentos e a cooperação educacional e cultural.

A China é, desde 2009, o maior parceiro comercial do Brasil e uma das principais origens de investimentos diretos no País. O comércio bilateral registrou US$ 75,4 bilhões, em 2012, quando o Brasil exportou para a China US$ 41,2 bilhões e importou daquele país US$ 34,2 bilhões, obtendo, como resultado, um superávit de US$ 6,9 bilhões, o equivalente a pouco menos de um terço do superávit comercial total do Brasil, de US$ 19,4 bilhões.

No contexto da Parceria Estratégica Global entre Brasil e China, o Vice-Presidente da República, Michel Temer, realizará visita oficial à República Popular da China, entre os dias 4 e 9 de novembro, incluindo as cidades de Pequim, Cantão e Macau.

Em Pequim, o Vice-Presidente será recebido pelo Presidente da República Xi Jinping; manterá reunião de trabalho com o Vice-Presidente da República Li Yuanchao; e participará de encontros empresariais. Durante a visita, será avaliada a implementação do Plano Decenal de Cooperação Brasil-China 2012-2021, com destaque à área econômico-comercial, com ênfase na promoção do agronegócio e de oportunidades de investimentos em programas brasileiros de infraestrutura. Será também discutida a evolução da agenda bilateral em ciência, tecnologia e inovação; cooperação espacial; e em educação e cultura.


Mais sobre as relações bilaterais Brasil-China

Fim do conteúdo da página