Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
301

IV Reunião da Subcomissão de Ciência, Tecnologia & Inovação da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação – 5 de setembro de 2017

04 de Setembro de 2017 - 19h45

Terá lugar amanhã, 5 de setembro, no Palácio Itamaraty, a IV Reunião da Subcomissão de Ciência, Tecnologia & Inovação (C,T&I) da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN). Na ocasião, delegação brasileira será chefiada pelo subsecretário-geral de Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores, embaixador José Antônio Marcondes Carvalho; e a delegação chinesa será chefiada pelo vice-ministro da Ciência e Tecnologia, Xu Nanping.

A COSBAN foi instituída em maio de 2004, em momento de adensamento das relações bilaterais. Trata-se de um dos mais abrangentes mecanismos bilaterais de coordenação do Brasil com outros países. De acordo com o memorando de entendimento assinado em sua criação, o mecanismo é chefiado, do lado brasileiro, pelo vice-presidente da República e, do lado chinês, pelo vice-primeiro-ministro encarregado de temas econômicos e financeiros no Conselho de Estado.

Até a presente data, a COSBAN reuniu-se quatro vezes: em março de 2006 (Pequim), fevereiro de 2012 (Brasília), novembro de 2013 (Cantão) e junho de 2015 (Brasília). Nessa última reunião, os dois governos confirmaram as prioridades de cooperação tecnológica do Plano de Ação Conjunta 2015-2021, incorporando à cooperação as áreas de ciências florestais, astronomia, meteorologia e prevenção e mitigação de desastres naturais.

A estrutura atual da COSBAN contempla doze subcomissões, dentre elas a de C,T&I. As três primeiras edições da Subcomissão de C,T&I ocorreram em 2008 (Brasília), 2011 (Pequim) e 2013 (Brasília).

A agenda da IV reunião da Subcomissão de C,T&I contemplará a discussão de quatro temas de interesse: i) estabelecimento de diálogo estratégico em políticas públicas de C,T&I; ii) criação de novos laboratórios e plataformas conjuntos; iii) adensamento do intercâmbio em parques tecnológicos e iv) aprofundamento da cooperação em nanotecnologia. Além desses temas, para o encontro de 5 de setembro, a parte chinesa manifestou grande interesse em aprofundar a cooperação na área de pesquisas e desenvolvimento agropecuário.

Fim do conteúdo da página