Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
237

O presidente Michel Temer participará em Mendoza (Argentina), no dia 21 de julho de 2017, da L Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados. O encontro de Chefes de Estado será precedido, no dia 20 de julho, pela L Reunião do Conselho do Mercado Comum, órgão decisório de nível ministerial.

A realização da Cúpula de Chefes de Estado encerra a presidência pro tempore argentina (PPTA) do MERCOSUL, exercida durante o primeiro semestre de 2017. Ao longo da PPTA, avançou-se na revitalização do MERCOSUL, com a recuperação dos objetivos e princípios do Tratado de Assunção de 1991: integração comercial e proteção e promoção dos direitos humanos e da democracia.

O MERCOSUL hoje representa algo equivalente à quinta maior economia mundial, com PIB de US$ 2,7 trilhões. Sua população total é de 291 milhões de habitantes. Nos últimos dois anos, segundo dados da UNCTAD, o MERCOSUL recebeu 47% (2015) e 46% (2016) dos Investimentos Estrangeiros Diretos na América Latina e Caribe, e 65% (2015 e 2016) da América do Sul.

O bloco também é fundamental para a atividade industrial dos Estados Partes. Em 2016, aproximadamente 84% das exportações brasileiras para o MERCOSUL foram de bens industrializados. Em comparação, as exportações brasileiras de bens industrializados ao mundo todo representaram 56% do total.

Ao final da Cúpula, a presidência pro tempore do bloco será transferida para o Brasil. O Brasil dará continuidade à revitalização do MERCOSUL, nas vertentes da integração comercial, dos direitos humanos e da democracia. Privilegiará o fortalecimento do mercado comum e a agenda de negociações externas, com ênfase nas tratativas com a União Europeia, com a Associação Europeia de Livre Comércio, com o Canadá e com parceiros da Ásia, além do prosseguimento do programa de trabalho já acordado com a Aliança do Pacífico.

Fim do conteúdo da página