Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
76

Cinquentenário do Palácio Itamaraty

14 de Março de 2017 - 15h50

Será realizada hoje cerimônia de comemoração dos 50 anos da inauguração do Palácio Itamaraty em Brasília.

Serão projetadas, na fachada e paredes internas do Palácio, fotos e filmes históricos da construção e das primeiras conferências e eventos realizados no edifício. Às 19h, o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, assinará acordos para a preservação e valorização do patrimônio artístico e de design do MRE e lançará um concurso de composição musical em homenagem ao cinquentenário do edifício.

As comemorações dos 50 anos do Palácio Itamaraty se estenderão por todo o ano de 2017 e envolverão atividades na área de pesquisa, preservação e divulgação, com seminários, publicações, exposições e convênios na área de conservação do patrimônio histórico e artístico do Ministério das Relações Exteriores.

Mais do que qualquer obra de Oscar Niemeyer, a nova sede da Chancelaria brasileira foi o resultado de um trabalho colaborativo que mobilizou os melhores artistas plásticos, paisagistas e designers da época.

O acervo do Palácio Itamaraty cobre a produção artística brasileira desde o barroco até o contemporâneo. Cerca de 20 artistas e designers receberam encomendas de obras especialmente para o Palácio: Burle Marx, Alfredo Volpi, Pedro Correia de Araújo; Bruno Giorgi, Alfredo Ceschiatti, Fayga Ostrower; Mary Vieira, Maria Martins; Sérgio Camargo, Sônia Ebling, Freda Jardim Bondi, Athos Bulcão, Madeleine Colaço; Bernardo Figueiredo; Joaquim Tenreiro; Karl Heinz Bergmiller; Jorge Hue e Aloísio Magalhães. O acervo continuou a ser enriquecido com obras premiadas na Bienal de São Paulo e outras aquisições e hoje totaliza cerca de 700 peças de criadores brasileiros, entre artistas e designers.

O projeto do Palácio foi coordenado pelo Embaixador Wladimir Murtinho, Presidente da Comissão de Transferência do Ministério das Relações Exteriores para Brasília, e pelo arquiteto Olavo Redig de Campos, chefe do Serviço de Conservação e Patrimônio do Itamaraty.

Entre 1958 e 1970, Murtinho e Redig de Campos mantiveram interlocução com Oscar Niemeyer e um grupo de cerca de 20 artistas e designers, de forma a garantir que a nova sede do ministério atendesse ao objetivo de projetar internacionalmente do Brasil, além de acolher grandes eventos oficiais e conferências internacionais.

A conclusão da transferência das unidades do Ministério das Relações Exteriores para Brasília ocorreu no dia 20 de abril de 1970, ocasião em que foi instituído o Dia do Diplomata, data de nascimento do Barão do Rio Branco.

Pesquisa:
Fim do conteúdo da página