Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

A Presidente Rousseff do Brasil respondeu à entrevista por escrito do Jornal Yomiuri. Revelou a intenção de visitar o Japão no início de dezembro, em antecipação à realização dos jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em agosto do ano vindouro, para fortalecer ainda mais as relações com o Japão que sediará as Olimpíadas de Tóquio em 2020.

A Sra. Rousseff demonstrou disposição ao afirmar que "faremos das Olimpíadas do Rio um sucesso e mostraremos ao mundo a imagem do Brasil amadurecido". No tocante aos preparativos, sublinhou que "as obras avançam em ritmo satisfatório".

Disse que durante a visita ao Japão em dezembro, "gostaria de trocar informações mutuamente úteis referentes aos preparativos e à gestão". Demonstrou ainda a intenção de confirmar, durante a visita ao Japão, o fortalecimento de cooperação em amplas áreas como construção de infraestrutura, agroindústria, construção naval, entre outras.

Ainda, no tocante à participação no membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, pleiteadas pelo Brasil, Japão, Alemanha e Índia, a Sra. Rouseff expressou a percepção de que "o Brasil é, igualmente ao Japão, um membro indispensável para se discutir a paz e segurança do mundo". Afirmou que "para refletir a opinião de um maior número de países e regiões no CSNU, é natural que os quatro países se tornem candidatos a membros permanentes", demonstrando a intenção de dar continuidade à cooperação com o Japão.

Olimpíadas do Rio: autoconfiança no asseguramento da segurança pública

Nas Olimpíadas do Rio de Janeiro que se iniciam em 5 de agosto do ano vindouro, o Brasil tenciona transformar-se de uma potência sul-americana para uma potência mundial. Na entrevista por escrito concedido a este jornal, a Presidente Rousseff demonstrou forte autoconfiança ao asseguramento da segurança pública que será a chave para o sucesso operacional. No que se refere à estagnação econômica e consecutiva corrupção, que se tornou vento contrário à sua administração, sublinhou sua postura positiva de adoção de medidas.

O Rio de Janeiro é uma das cidades com maior índice de criminalidade do mundo, e, em comparação com Japão, o índice de homicídio chega a ser 28 vezes maior, e o de assalto, 374 vezes. Na entrevista, a Sra. Rousseff afirmou que "A segurança pública é o principal desafio para o sucesso das Olimpíadas. Introduziremos 85.000 pessoas, inclusive militares, para assegurar, sem falta, a segurança dos atletas e espectadores", ao explicar sobre a diretriz de adotar um dos maiores esquemas de segurança da história do Brasil.

Nas vésperas da Copa do Mundo no ano passado, eclodiram consecutivas manifestações contra o investimento colossal de dinheiro público à Copa. Parte dos manifestantes provocou desordem, elevando a preocupação à segurança pública.

A Sra. Rousseff comentou que "nas Olimpíadas, 64% do custo de construção dos estádios e 43% do custo de construção da infraestrutura social provém do setor privado" e afirmou que está conseguindo conter os gastos públicos.

O índice de desaprovação à Sra. Dilma do povo brasileiro atingiu 71% em agosto, recorde entres os presidentes após 1987. No dia 16, houve passeatas pelo país inteiro reivindicando a sua renúncia com participação de mais de 600.000 pessoas.

A principal causa, além da estagnação econômica, é o envolvimento de grande número de políticos da situação no caso de corrupção em grande escala da estatal petrolífera Petrobras.

Na entrevista, a Sra. Rousseff comentou sobre o caso de corrupção que "aqueles que devem ser punidos terão que ser punidos sem falta" e sublinhou que instruiu o órgão competente uma investigação exaustiva.

No tocante à reconstrução econômica, afirmou que "estamos abordando uma reforma estrutural para que possamos manter a competitividade" e revelou que no período 2015-18 investirá R$198 bilhões (cerca de JPY 7,1 trilhões) na construção de malha de distribuição.

Resumo da entrevista

Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio

Tornar-se-á um evento histórico para o Brasil. As obras andam a ritmo satisfatório, e faremos dos Jogos um sucesso e mostraremos ao mundo a imagem do Brasil amadurecido.

Relação com Japão, Olimpíadas de Tóquio

Visitarei o Japão no início de dezembro para aprofundar a "Parceria Estratégica e Global" acordada por ocasião da visita do PM Abe ao Brasil no ano passado. Gostaria de trocar informações mutuamente úteis referentes aos preparativos e gestão das Olimpíadas. Estou convicta de que o Japão e os japoneses farão das Olimpíadas de Tóquio um sucesso e mostrarão ao mundo a alta eficiência e dedicação.

Reforma do CSNU

Para refletir a opinião de um maior número de países e regiões ao CSNU, é natural que Brasil, Japão, Alemanha e Índia se tornem candidatos a membros permanentes.

Política interna

Com relação ao caso de corrupção da estatal petrolífera Petrobras, instruí uma investigação exaustiva. Aqueles que devem ser punidos terão que ser punidos sem falta. Em meio à queda do preço de recursos naturais e à instabilidade financeira mundial, o Brasil aborda reforma estrutural da economia para manter a competitividade.

(Kenichi Yoshida, do Rio de Janeiro)

Fim do conteúdo da página