Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Em entrevista à ANBA, o chanceler brasileiro afirmou que países árabes e africanos são prioridade para o Brasil e que o objetivo de sua atual viagem ao continente é aprofundar os laços diplomáticos e comerciais.

Marcos Carrieri, enviado especial

Casablanca - O Brasil quer aprofundar sua presença diplomática e comercial no continente africano e nos países árabes. Nesta quinta-feira (10), o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, disse à ANBA que a viagem que realiza esta semana à Etiópia, Marrocos e Tunísia serve para aprofundar o conhecimento das posições que estas nações têm frente a temas internacionais e reafirmar as posições do Brasil sobre os mesmos assuntos, assim como estreitar as relações comerciais. Vieira esteve na Etiópia na terça-feira (08), no Marrocos na quarta (09) e nesta quinta, e vai embarcar para a última etapa da visita, a Tunísia, nesta sexta-feira (11).

“As visitas têm o objetivo principal de aproximar o Brasil destes países. São três países muito importantes, parceiros importantes do Brasil. E também há a ocasião da aproximação política, da concertação política, das consultas e da compreensão que o Brasil tem destes países e que eles têm das posições políticas do Brasil no cenário regional, e também no âmbito bilateral. Houve discussões concretas de projetos e de interesses”, afirmou.

Ele lembrou que está sendo acompanhado por representantes de empresas brasileiras e que a receptividade ao setor exportador é positiva. Citou como exemplo a presença da presidente de Confederação Geral das Empresas Marroquinas (CGEM), Meriem Bensalah-Chaqroum, no Encontro de Negócios Brasil-Marrocos, organizado pelo Itamaraty nesta quinta-feira em Rabat.

Vieira afirmou que um acordo de facilitação de investimentos está em fase final de negociação e que há o interesse mútuo de ampliar a corrente comercial. Esse acordo prevê a criação de instrumentos que reduzem os riscos dos investimentos e também a solução de controvérsias.

"Temos notícia de que está praticamente concluída essa negociação, e várias outras iniciativas estão em negociação. Agradeço muito à Câmara de Comércio Árabe Brasileira por ter contribuído de forma muito importante para a organização desta missão. O sinal de que o governo brasileiro tem interesse total em aprofundar as relações bilaterais com os países que estou visitando agora, e com os outros que já visitei, e mais especificamente com o Marrocos, é o fato de que estavam presentes hoje na abertura do seminário não só o ministro da Indústria e de Comércio, Moulai El Alamy, mas também a presidente do CGEM, que é a entidade de classe mais importante, mais poderosa, que reúne grandes empresários”, afirmou o ministro.

O chanceler afirmou também que há interesse do Brasil e do Marrocos em solucionar entraves para as trocas comerciais. Há setores que enfrentam barreiras tarifárias para vender seus produtos no mercado marroquino.

"Há um interesse estratégico em aprofundar as relações com o Brasil e [os ministros marroquinos] deram demonstrações de que estão prontos a negociar e a acertar todo tipo de ajuste possível de interesse dos dois países. E o que eu posso dizer é que dificuldades são circunstanciais, mas são sempre objetos de negociações e de acertos. Acho que o importante é criarmos sinergia, que os governos possam criar condições para que haja mais negócios, mais investimentos e mais comércio. E os empresários sempre encontrando formas - através de associação com empresários locais ou outros esquemas de penetração nos mercados locais - de executar os seus negócios e, sobretudo, de aproveitar os instrumentos criados pelos governos para ampliar a relação”, disse.

Comunicado

O chanceler brasileiro e o ministro dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação do Marrocos, Salaheddine Mezouar, divulgaram um comunicado conjunto de intenções para ampliar o relacionamento entre os dois países.

No documento, eles afirmam que há o interesse mútuo de concluir acordos de interesse comum, como de promoção do comércio e de investimentos e de auxílio em matéria penal. Ambos demonstraram interesse em retomar as negociações para um tratado comercial entre o Marrocos e o Mercosul, previsto num acordo-quadro (prévio) de 2004.

No comunicado, ambos manifestaram também interesse em desenvolver a cooperação cultural e educacional por meio de intercâmbios e de eventos culturais. Vieira convidou Mezouar a visitar o Brasil, em data ainda a ser marcada.

Fim do conteúdo da página