Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Não é coincidência que meu primeiro discurso dirigido à Casa depois de assumir minhas novas funções venha a honrar uma dupla tradição do Itamaraty. De um lado, a tradição de valorizar uma cerimônia que, por marcar a transmissão do mais alto cargo privativo aos diplomatas, nos une a todos como instituição. De outro, a tradição de promover o verdadeiro espírito desta Casa, que é o de saber renovar-se. Hoje, renovamos o que temos de melhor, nosso capital humano, aqui muito bem representado na figura de dois amigos diletos e diplomatas de primeira grandeza: o Embaixador Eduardo dos Santos e o Embaixador Sérgio Danese.

Ao Embaixador Eduardo dos Santos, meu contemporâneo no Instituto Rio Branco, companheiro de muitos caminhos, amigo querido, quero dirigir, em meu nome e no de todos os colegas, o especial agradecimento por sua incansável dedicação e competência. Cordial no trato, arguto no diagnóstico e na solução das questões, o Embaixador Eduardo dos Santos exerceu a função de Secretário-Geral com o zelo profissional das grandes lideranças do Itamaraty. Honrou a tradição do cargo, já exercido com brilhantismo por muitos antecessores, entre os quais se encontram aqui presentes o Ministro Celso Amorim e o Ministro Samuel Pinheiro Guimarães. Pude testemunhar, da Embaixada em Washington, todo o seu empenho e inteligência, meu caro Eduardo, no exercício de conduzir, junto com os Ministros Antonio Patriota e Luiz Alberto Figueiredo, os destinos desta Casa nos dois últimos anos.

O sentido de missão e de serviço ao Itamaraty do Embaixador Eduardo dos Santos é um exemplo para todos nós. Foi exercido por vezes em circunstâncias pessoais de dor e pesar, o que dignifica enormemente nossa instituição e nossa carreira. Quero assim deixar meu tributo e meu reconhecimento ao seu nome, que já é parte da História desta Casa. Tenho a certeza de que, nas próximas altas funções que a Senhora Presidenta da República lhe confiará, o Embaixador Eduardo dos Santos seguirá honrando o Brasil e o Itamaraty com a mesma grandeza que o fez como Secretário-Geral.

Desejo-lhe, pois, caro Eduardo, toda a felicidade nessa nova etapa de sua vida. Saiba que conta e sempre contará com o apoio deste amigo.

A posse do Embaixador Sérgio Danese como Secretário-Geral das Relações Exteriores é o reconhecimento de que os desafios e as responsabilidades do cargo requerem os predicados de outro diplomata completo. O Embaixador Danese une competência profissional, solidez intelectual, capacidade de articulação e habilidades de negociador e administrador. Tais qualidades, tive o privilégio de conhecê-las bem e muito diretamente. Pude contar com o apoio do Embaixador Danese em diversas ocasiões, nesta mesma Secretaria-Geral, cuja chefia hoje ele assume, nas Embaixadas na Cidade do México e em Paris, ou como Ministro-Conselheiro na Embaixada em Buenos Aires. Em todas as situações, testemunhei e beneficiei-me de sua grande dedicação e apurada inteligência. O excelente desempenho que veio a ter posteriormente como Embaixador do Brasil na Argélia, como Assessor Especial para Assuntos Parlamentares e Federativos e como Subsecretário-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior apenas confirmou o conceito que o Embaixador Danese tem como um dos grandes quadros desta Casa.

Por todas essas razões, tive a honra e a tranquilidade de indicar seu nome à consideração da Senhora Presidenta Dilma Rousseff, que muito prontamente acolheu minha recomendação. O Embaixador Danese é, a partir de hoje, o Chefe desta Casa e meu principal colaborador na tarefa de continuar a fazer do Itamaraty uma das chancelarias mais respeitadas e admiradas no mundo.

Senhor Secretário-Geral e caros colegas,

Nos próximos anos, trabalharemos juntos, com grande determinação, para executar as diretrizes da política externa determinadas pela Senhora Presidenta da República. Discutiremos, lado a lado, a formulação da estratégia e a boa execução de nossa política externa. Buscaremos associar aos objetivos do Brasil no plano internacional uma política de recursos humanos, materiais e financeiros adequada ao exercício de nossas funções. Confio, Embaixador Danese, e estou certo de ecoar o sentimento de cada um dos integrantes desta Casa, no seu conselho estratégico e na sua capacidade de organizar e articular os meios necessários para a consecução dos objetivos de nossa política externa.

Caros colegas,

Tradição e renovação devem coexistir de forma harmônica em nossa política externa. No meu discurso de posse, sublinhei a responsabilidade permanente que temos, como instituição, de expor com transparência o que fazemos e o que pensamos, as linhas da nossa política externa, nossos interesses nacionais e o porquê de nossa ação diplomática. O Itamaraty deve continuar a praticar uma política externa de resultados concretos para o desenvolvimento econômico, social e cultural do Brasil.

Seguindo a orientação da Presidenta Dilma Rousseff, elegemos prioridades, como a consolidação da América do Sul como espaço de estabilidade e integração; o reforço da agenda comercial de nossa diplomacia econômica em suas vertentes bilateral e multilateral; a ênfase na cooperação internacional como instrumento do progresso econômico e tecnológico do Brasil; a defesa dos cidadãos brasileiros no exterior; o fortalecimento das nossas relações com o BRICS, a África, os Estados Unidos, a União Europeia, e com parceiros novos e tradicionais dentro da vocação global de nossa política externa.

Para fazer frente a tamanhos desafios, contamos com nosso maior e melhor recurso: a dedicação, o talento e a qualidade profissional dos funcionários do Itamaraty. Temos o objetivo, sempre sublinhado pelo Embaixador Danese, de colocar o administrativo – todos os meios humanos e materiais de que dispomos – a serviço de uma política externa moderna e eficaz. E aqui, na questão dos meios e dos recursos, precisamos reconhecer e buscar enfrentar os desafios encontrados, que não são exclusivos desta instituição. Quero assegurar que eu e o Embaixador Danese nos empenharemos incansavelmente para obter os recursos adequados à implementação da política externa determinada pela Presidenta Dilma Rousseff.

O bom exercício da política externa requer também uma instituição cada vez mais ágil e eficiente na utilização de suas capacidades e meios. Instruí o Embaixador Danese a dedicar particular atenção ao aprimoramento e à modernização dos métodos de trabalho do Itamaraty. Desejamos fortalecer a carreira diplomática e as demais carreiras do serviço exterior. Como afirmei em meu discurso de posse, para bem exercer sua vocação e operar num mundo em transformação veloz, o Itamaraty necessita adaptar sua organização interna constantemente. Temos de aperfeiçoar nossa instituição sabendo que a primeira e a última referência para as adaptações necessárias é uma política externa de qualidade a serviço do Brasil. Por isso, desejo trabalhar com o Secretário-Geral para preservar e valorizar o extraordinário capital humano do Ministério.

Nesse espírito, instruí o Embaixador Danese a dar especial atenção, entre outros temas, à situação muito particular da progressão funcional entre os colegas mais jovens. O entusiasmo, a criatividade e o impulso de construir entre os jovens diplomatas sempre foram, e continuarão a ser, uma energia indispensável ao bom desempenho desta Casa.

Diplomatas mais jovens ou com uma estrada mais longa já percorrida, colegas nas divisões ou nos gabinetes, na Secretaria de Estado ou nos Postos no exterior, aqui me dirijo a todos com uma mensagem muito direta. Creio ser este um momento de reforçarmos a unidade do Ministério. Temos todos um único objetivo, que é o de fazer desta Casa uma instituição cada vez mais respeitada na formulação e execução da melhor e mais eficaz política externa. O orgulho de nossas qualidades é uma de nossas mais saudáveis tradições. Quero assim conclamar a todos a reforçar a autoestima e o orgulho de pertencer a uma carreira que prestou e continuará a prestar imensos serviços ao Brasil. Com o trabalho redobrado e a dedicação de cada um de vocês, poderemos unir e fortalecer ainda mais esta instituição, para que continue a desempenhar seu papel crucial na História do País.

Caro Embaixador Sérgio Danese, Secretário-Geral das Relações Exteriores,

No trabalho que iniciamos como Ministro de Estado e Secretário-Geral, como em tantas outras ocasiões em que colaboramos, tenho a expectativa de uma comunhão profunda em defesa dos interesses do Brasil e do fortalecimento do Itamaraty. Sei que posso contar com sua competência e sua lealdade. Saiba que conta com meu apoio e a minha confiança e, estou seguro, com o apoio e a confiança de toda esta Casa no exercício das grandes responsabilidades que lhe cabem.

Seremos parceiros na busca do fortalecimento permanente de uma instituição chamada a representar o Brasil no mundo à altura de suas melhores tradições.

Desejo a você, Sérgio, e à minha cara amiga Ângela Danese, votos de felicidade pessoal e êxito profissional.

Muito obrigado.

Fim do conteúdo da página