Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

A Coordenação-Geral de Patrimônio Histórico (CGPH) publica neste Espaço da Memória informações sobre as obras que podem ser apreciadas no percurso da visita cívica.

Obra estudo para Independência ou morte, óleo sobre tela (1886)

Obra Independência ou morte, óleo sobre tela (1888)

Do conjunto iconográfico representando a independência do Brasil, a imagem mais conhecida é possivelmente a tela “Independência ou morte”, de Pedro Américo. O grande formato (415 x 760 cm), de 1888, está exposto desde 1895 no Museu Paulista, da Universidade de São Paulo (USP). Ainda em 1886, mesmo ano em que assinou o contrato para a produção da obra, o artista realizou o estudo que se encontra no Palácio Itamaraty em Brasília.

Para esse trabalho, Américo aprofundou-se na pesquisa de época, estudando o movimento independentista, entrevistando testemunhas e buscando indumentárias originais, atenção ao detalhe que transparece tanto no estudo como no trabalho final. A construção da imagem, a distribuição dos personagens na tela e suas posturas apontam para a elevação de D. Pedro I ao status de herói nacional e à ideia de construção da identidade e do patriotismo por meio do passado glorioso e suas representações épicas.

Ambas as telas foram pintadas em Florença, onde o artista residia à época. A obra final foi exibida inicialmente na Academia Real de Belas Artes daquela cidade. Estavam presentes à apresentação e assistiram ao discurso de Pedro Américo, o imperador D. Pedro II e a imperatriz Teresa Cristina e outros monarcas europeus.

O estudo que faz parte do acervo do MRE mede 146 x 237 cm e apresenta algumas diferenças em relação à tela principal, como os personagens retratados; entre eles, o próprio artista, que se colocou, no grande painel, em trajes civis no agrupamento em frente ao casebre. Não há registro de data ou forma de incorporação à coleção, mas sabe-se que a pintura estava originalmente na sede do Ministério no Rio de Janeiro, até ser transferida para o Palácio Itamaraty em Brasília, para compor a Sala D. Pedro I.

O Embaixador Wladimir Murtinho, um dos responsáveis pela construção e ambientação do Palácio costumava dizer que

“O ‘Grito do Ipiranga’ (...) que está lá, do Pedro Américo, é o verdadeiro. O que está em São Paulo é uma ampliação, que não tem a (mesma) qualidade pictórica.”

Pedro Américo de Figueiredo e Melo (29 de abril de 1843 – 07 de outubro de 1905)

 

Pintor brasileiro nascido na Paraíba, considerado um dos mais importantes artistas plásticos da história do país, fez parte do Romantismo, caracterizando suas obras com uma visão heroica e seguindo em máximo a realidade.

Foi aluno na Escola Nacional de Belas Artes de Paris, sendo instruído pelo pintor do neoclassicismo francês Jean-Auguste-Dominique Ingres. Em seguida estudou arqueologia e se tronou bacharelo em ciências sociais.

Sua mais famosa obra a tela “Independência ou morte” mais conhecida por “grito do Ipiranga”, assim como diversas outras como:

• Fausto e Margarida;
• Tiradentes Esquartejado;
• Batalha do Avaí;
• Paz e Concórdia.

Pesquisa:
Fim do conteúdo da página