Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
suica
 

Tradicionalmente cordiais, as relações entre Brasil e Suíça foram alçadas a mais alto patamar com a assinatura do Memorando de Entendimento para o Estabelecimento de um Plano de Parceria Estratégica, quando da visita ao Brasil da ministra dos Negócios Estrangeiros Micheline Calmy-Rey (2008).

As parcerias em ciência, tecnologia e inovação são uma importante vertente das relações. Na cooperação bilateral, destacam-se projetos em áreas como neurociências, saúde, energia e meio ambiente – havendo perspectiva de cooperação futura em nanotecnologia, tecnologias da informação e das comunicações, energias renováveis, ciências humanas e sociais.

Em meados dos anos 2000, a Suíça estabeleceu relacionamento estratégico não apenas com o Brasil, mas também Rússia, Índia e China ("Estratégia BRICS"). Esse interesse foi oficializado durante a visita da conselheira federal de Assuntos Econômicos, Doris Leuthard, (2007), quando se criou a Comissão Mista de Relações Econômico-Comerciais – que, desde então, já se reuniu cinco vezes.

De 2007 a 2012, o comércio bilateral cresceu 35,3%, atingindo US$ 4,47 bilhões. Cerca de 350 empresas de origem suíça operam no Brasil – algumas estão presentes no país há mais de 90 anos. Estima-se que, juntas, essas empresas gerem cerca de 90 mil empregos diretos. Empresas brasileiras de grande porte têm instalado suas sedes europeias nesse país.


Cronologia das relações bilaterais

1818 – D. João VI autoriza cem famílias suíças a se instalarem como imigrantes na Fazenda do Morro Queimado, no Rio de Janeiro

1820 – Com a vinda de novos imigrantes suíços, aquele núcleo de colonização prospera e se transforma na “vila de Nova Friburgo”

1826 – Reconhecimento da independência do Brasil pelo governo da Confederação Suíça

1855 – Designação do primeiro representante diplomático do Brasil na Suíça, José Francisco Guimarães, como Cônsul em Berna

1899/1900 – Barão do Rio Branco, encarregado da defesa do Brasil na arbitragem do governo suíço relativa à disputa territorial com a França sobre a questão do Amapá, reside em Berna

1907 – Designação do primeiro representante diplomático da Suíça no Brasil, Albert Gertsch, como encarregado de negócios

1948 – Primeira ligação aérea entre o Brasil e a Suíça, com a Panair

1958 – Elevação da Legação suíça no Rio de Janeiro à condição de Embaixada

1959 – Elevação da Legação brasileira em Berna à condição de Embaixada; assume o primeiro embaixador do Brasil na Suíça, Afrânio de Mello Franco

1994 – Primeira visita ao Brasil do presidente da Confederação Suíça, Jean Pascal Delamuraz

1997 – Primeira visita oficial de um ministro do Exterior suíço ao Brasil, conselheiro federal Flavio Cotti

1998 – Primeira visita oficial de chefe de Estado brasileiro a Berna, presidente Fernando Henrique Cardoso

2007 – Assinatura, em Brasília, pelo chanceler Celso Amorim e pela conselheira federal Doris Leuthard, de Memorando de Entendimento que cria a Comissão Mista de Relações Econômicas e Comerciais

2007 – Visita à Suíça do chanceler Celso Amorim

2008 – Visita ao Brasil da conselheira federal para Assuntos Exteriores, Micheline Calmy-Rey

2010 – Reunião de Consultas Políticas Bilaterais entre o secretário-geral das Relações Exteriores, Antonio de Aguiar Patriota, e o secretário de Estado de Assuntos Exteriores da Confederação Suíça, Peter Maurer, em Berna

2011Assinatura do Acordo entre o governo da República Federativa do Brasil e o Conselho Federal Suíço Relativo ao Intercâmbio de Treinandos (13 de outubro)

2015Assinatura do tratado entre a Suíça e a República Federativa do Brasil sobre a transferência das pessoas condenadas - Brasília, 23 de novembro

2016O presidente da Confederação Suíça e conselheiro federal de Assuntos Econômicos, Educação e Pesquisa, Johann Schneider-Ammann, realiza visita ao Brasil, ocasião em que é recebido, em Brasília, pelo ministro das Relações Exteriores, José Serra (4 a 7 de agosto)

 
 
Fim do conteúdo da página